<$BlogRSDUrl$>

quinta-feira, abril 15, 2004

Mulheres em destaque  

Na Única, revista que acompanha semanalmente o Expresso, o sexo feminino é várias vezes notícia. A 20 de Março, nesta publicação semanal, o tema mulher é central em três artigos, por diferentes motivos.


Um dos três artigos diz respeito à nova novela da SIC, que estreou na passada segunda-feira. “Da Cor do Pecado” tem como protagonista Taís Araújo, a primeira negra a interpretar o papel principal numa novela brasileira. Foram necessárias cerca de quatro décadas para que a maior emissora brasileira, a Rede Globo, colocasse uma actriz de cor como personagem principal. Esta actriz, já consagrada com a participação no folhetim «Xica da Silva», no qual interpretava uma escrava, tem agora 25 anos presenteados com o papel de protagonista duma novela. Devido ao sucesso da sua personagem em «Xica da Silva», Taís Araújo foi eleita, pela revista People, uma das mulheres mais belas do mundo. Esta actriz foi ainda proclamada embaixadora da Paz da ONU, em Angola. Porém, antes desta conquista na televisão brasileira, o mesmo tinha já ocorrido no teatro com a conhecida actriz Ruth de Souza, a primeira negra a apresentar-se no Teatro Municipal do Rio de Janeiro.
Duas páginas depois encontra-se mais um esbelto rosto negro, desta vez é o de Waris Dirie, uma ex-modelo conhecida pela luta que empreende contra a excisão feminina. Originária da Somália, Dirie, de 40 anos, passou pelo ritual da excisão antes da puberdade, tal como todas as meninas do seu país e de muitos outros. Contrariando o seu destino, decidiu fugir. Por sorte, foi descoberta por um conhecido fotógrafo que a lançou no mundo da moda. Mais tarde viria a ser uma “Bond girl” no filme «007 – Risco Imediato». Desde 1997 que se afastou da moda e enveredou pelas militâncias, iniciando a luta pelos direitos das mulheres do seu país natal. Esta causa levou-a à ONU como embaixadora da Boa-Vontade.
Após uma página surge outro artigo que destaca mais uma vez o sexo feminino. Desta feita, o âmago da polémica é a eutanásia. Lesley Martin é acusada de matar a mãe, Joy Martin de 69 anos. A mãe de Lesley sofria de cancro nos intestinos e caminhava para a morte. Em 1999, Lesley pôs termo ao sofrimento da sua progenitora e deu-lhe uma sobredosagem de morfina, enterrando depois uma almofada no seu rosto. Agora, a filha é acusada de homicídio, depois do processo ter sido reaberto há dois anos, após a publicação de um livro em que Lesley fala do sofrimento da mãe e do que fez para por fim a essa dor.
Todos estes artigos se destacam pelo protagonismo feminino e pela controvérsia dos temas. Desde o racismo até à excisão, as mulheres vão assumindo o “papel principal” numa sociedade cada vez mais mediática.


Rita Ramoa
ritaramoa@aeiou.pt





This page is powered by Blogger. Isn't yours?

Weblog Commenting by HaloScan.com